HomeCarro

Indenização de Perda Total de Veículo Financiado no Seguro

Indenização de Perda Total de Veículo Financiado no Seguro
Like Tweet Pin it Share Share Email

Nem sempre há dinheiro disponível na conta para se adquirir um automóvel novo. Por isso, muitas pessoas optam pelo financiamento. Segundo dados divulgados pela Unidade de Financiamento da Cetip, somente em 2014 foram mais de seis milhões de carros financiados, entre novos e usados. A Unidade faz parte do Sistema Nacional de Gravames (SNG). A dúvida, porém, surge quando o veículo é financiado no seguro e, por alguma causalidade, sofre perda total.

Veja também como fazer seguro de carro.

Quando algum acontecimento de forma imprevista e involuntária ocorre, recebe o nome de sinistro. Esses episódios, no entanto, devem constar no contrato de seguro. Os danos em decorrência desses acontecimentos serão cobertos e os valores repassados ao proprietário. Muitos consumidores, contudo, não conhecem os processos envolvidos na indenização de sinistros.

Inicialmente, é preciso entender que a indenização de carros financiados não funciona do mesmo modo para os carros quitados. Se o carro já foi quitado, a indenização será paga diretamente ao dono do veículo. Caso o carro seja financiado, no entanto, há três opções que podem ocorrer.

Um dos caminhos é o proprietário quitar todo o financiamento e, em seguida, receber o valor da indenização direto da seguradora. A seguradora também pode quitar o financiamento. No entanto, o valor só é pago até o limite de indenização. O proprietário recebe o valor da diferença.

Já o terceiro passo é aconselhado aos donos de veículos que não possuem condições de saldar a dívida, como o primeiro caso, ou então aos devedores que possuem uma dívida muito grande e a seguradora não consegue cobrir o valor integral, conforme explicado na segunda alternativa. Para essa terceira situação, o proprietário pode trocar o veículo financiado por outro.

Antes, disso, porém, o proprietário precisa entrar em contato com a financeira e solicitar a utilização da indenização integral para que possa substituir o tipo de dívida. A financeira, contudo, precisa acatar esse tipo de sugestão. Não são todas as financeiras que concordam. Na possibilidade da sua financeira aceitar a proposta, o valor da indenização vai para a financeira e o proprietário obtém outro automóvel em substituição ao veículo que se perdeu no acidente.

Antes de tomar qualquer iniciativa minutos após a ocorrência de um sinistro, por exemplo, é necessária a precaução. De nada adianta se desesperar, pois você pode agir precipitadamente e depois se arrepender. Caso haja outras pessoas envolvidas no acidente, não tente firmar acordos. Organize as informações referentes ao acidente, como local, horário, data, modelos dos veículos, cor, nome dos condutores, endereços, boletim de ocorrência. Anote os dados e em seguida informe a sua seguradora sobre o ocorrido. Não deixe ultrapassar as 24 h após o sinistro. Se achar necessário, você também pode entrar em contato com o corretor para que ele possa lhe oferecer maiores informações.

Depois da formalização, é a seguradora que escolhe uma oficina credenciada para a realização dos reparos. No caso de perda total do veículo, o que determinar a perda é o orçamento feito pela oficina autorizada. A seguradora julga perda total caso os valores para a reforma do veículo fiquem acima de 75% do valor do carro. Depois desses procedimentos, a seguradora pedirá uma lista de documentos necessários e, em algumas situações, até mesmo a presença de testemunhas.

Por lei, a indenização deve ocorrer a partir do momento em que a seguradora recebe, do proprietário do veículo, os documentos requeridos. Isso leva aproximadamente 30 dias. Por alguma eventualidade, um documento faltar na relação, a contagem dos dias passa a ser feita do início, novamente, a partir do momento em que o documento que falta for entregue à seguradora.

Comentários (7)

  • minha duvida e.. meu carro nao estar quitado. valor atual pra quitar a divida e de 22 mil.
    a pergunta e? a seguradora ao quitar esse valor. entra desconto ?
    porque seu eu fosse quitar hoje 30/04. esse valor cairia para 15 mil

    Reply
  • Boa tarde.
    Gostaria de alguns esclarecimentos.
    Meu filho tem um taxi cobalt financiado em nome do dono da autonômia.
    O taxi sofreu colisão por outro veículo com grande avariação.
    Ele no caso, o meu filho, deve acionar o proprietário da autonômia e também do financiamento ?
    Ou elemesmo pode e deve dar entrada no registro de “BO”

    Reply
  • Bom dia, no caso da financeira aceitar a troca do veículo, o valor da indenização será repassado para quem?

    Reply
  • BOM DIA MEU CARRO FOI ROUBADO E FINANCIADO O QUE FAZER QUANDO O RESSARCIMENTO DA SEGURADORA NÃO DA PARA QUITAR O VEICULA . A DIVIDA E MAIOR O QUE FAZER ?

    Reply
  • Bom dia!

    Meu carro sofreu perda total e o carro é financiado, não tenho seguro mas a pessoa que bateu tem, o carro é um palio economy ano 2010 modelo 2010 o carro na tabela fipe está custando R$ 19.000 mas o meu saldo devedor com o banco está entorno de R$ 27.000 a seguradora prefere pagar este valor ao invés de ligar para o proprietário para que ele faça uma acordo com o banco e quite este veiculo pelo valor bem mais baixo.

    Reply
  • Bom dia por favor em 2009 comprei um carro 2005 e financei em 48 vezez e fiz seguros, paguei 30 parcela e inicio de 2012 entrei com acao revisional e continuei pagando em deposito judicial as 18 parcelas ate sua quitacao, ocorre que neste meio tempo em final de 2012 ocorreu um acidente e deu PT no carro, a seguradora pegou e levou o carro daqui do ES para seu patio em SP , sem meu consentimento e sem pagar o premio nem pra mim nem para a financeira, no entanto eu continuei fazendo os depositos judiciais ate a quitacao do financiamento e ate hj acao revisional da causa ainda nao foi julgada, pois bem a seguradora se encontra com o veiculo em seu patio a mais de 4 anos e os ipvas nao estao sendo pagos, e a seguradora quer fazer acordo para pagar pra mim 80 por cento do valor do carro pela tabela fipe de hj e nao pela tabela de 2012 e me devolve o carro trazendo de volta de SP para o ES. O que devo fazer, quais meus direitos, visto que o carro embora com PT ficou com eles durante todo estes mais de 4 anos sem meu consentimento.

    Reply

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *